Imagen de artigos e publicações

Juliana Akaishi destaca experiência da Europa em proteção de dados em seminário sobre LGPD

 

 

A sócia Juliana Akaishi participou de um debate sobre a adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), durante o seminário “Privacidade e Proteção de Dados e Compliance: Teoria e Prática”, nesta terça-feira, 18, em São Paulo. A advogada comentou sobre a experiência da implantação na Europa da GDPR, sigla em inglês para Regulamento Geral de Proteção de Dados, e comparou os cenários brasileiro e internacional.

 

“Os países europeus estão na nossa frente, mas nós temos a vantagem competitiva de poder olhar para o que já foi feito e poder se estruturar de uma forma mais robusta”, diz Juliana Akaishi.

 

A advogada debateu as lições aprendidas na Europa (GPDR) e a adequação à LGPD ao lado de Fernanda Godke, gerente de Controles Internos e DPO do Banco Caixa Geral Brasil, e Marcos Henrique Teixeira, diretor jurídico da Embraer, responsável por Compliance em Portugal, Holanda e França, sob a moderação de Priscila Furgeri Morando, do Huck Otranto Camargo Advogados.

 

Um dos pontos citados pela sócia durante o evento realizado pelo Migalhas é o de que, embora os custos para adequação sejam vistos pelas empresas como desafios à adequação, isso gera retorno e valor.

 

“Segundo o estudo da Cisco, em média, no mundo, para cada R$1 investido em adequação, a empresa observa um retorno de R$ 2,70; no Brasil, esse número sobe: para cada R$ 1 investido em adequação, a empresa observa um retorno de R$ 3,30”, ressalta Juliana.

 

Protocolos

 

De acordo com Teixeira, a previsão orçamentária é fundamental para a implantação de políticas de compliance e para definir os protocolos de ação no caso de vazamentos, por exemplo.

 

“Como a empresa vai agir quando houver um vazamento de dados? Quem participará do comitê de crise? Para isso, é preciso ter orçamento. Ter uma política que não é aplicada é pior do que não ter uma política”, afirma o diretor jurídico da Embraer.

 

A seis meses do início da vigência da LGPD, a sócia Juliana Akaishi lembrou também que 85% das empresas brasileiras ainda não estão preparadas para a legislação, segundo pesquisa da Serasa Experian e destacou a necessidade de iniciar o quanto antes as adequações para um processo que é contínuo:

 

“Proteção de dados é um movimento mundial e seu programa de adequação é um processo que nunca acaba”.

 

Fernanda Godke compartilhou suas experiências sobre a implementação da LGPD e ressaltou como as empresas podem aproveitar a lei para se destacarem em vez de apenas trabalhar para evitar as possíveis penalidades:

 

“É preciso entender que a lei faz um paralelo importante com práticas de anticorrupção, além de ser uma oportunidade de reforçar a questão reputacional”.

A sócia Juliana Akaishi participou do seminário "Privacidade e Proteção de Dados e Compliance: Teoria e Prática"

A sócia Juliana Akaishi participou do seminário “Privacidade e Proteção de Dados e Compliance: Teoria e Prática”

Juliana Akaishi comentou sobre a experiência da implantação na Europa da GDPR

Juliana Akaishi comentou sobre a experiência da implantação na Europa da GDPR